×
Utilize aspas para busca exata.

Política de Cookies

Lorem ipsum dolor sit amet, consetetur sadipscing elitr, sed diam nonumy eirmod tempor invidunt ut labore et dolore magna aliquyam erat, sed diam voluptua. At vero eos et accusam et justo duo dolores et ea rebum. Stet clita kasd gubergren, no sea takimata sanctus est Lorem ipsum dolor sit amet. Lorem ipsum dolor sit amet, consetetur sadipscing elitr, sed diam nonumy eirmod tempor invidunt ut labore et dolore magna aliquyam erat, sed diam voluptua. At vero eos et accusam et justo duo dolores et ea rebum. Stet clita kasd gubergren, no sea takimata sanctus est Lorem ipsum dolor sit amet.

Lorem ipsum dolor sit amet, consetetur sadipscing elitr, sed diam nonumy eirmod tempor invidunt ut labore et dolore magna aliquyam erat, sed diam voluptua. At vero eos et accusam et justo duo dolores et ea rebum. Stet clita kasd gubergren, no sea takimata sanctus est Lorem ipsum dolor sit amet.

fechar

Política de Privacidade

fechar

Política de Uso de Dados

fechar

Notícias do Educação Básica Privada Voltar para o Educação Básica Privada

Abrir Filtros

Núcleo de Escolas de Educação Básica Privada se reúne com secretária de Educação e solicita planejamento de retomada às aulas

Núcleo de Escolas de Educação Básica Privada se reúne com secretária de Educação e solicita planejamento de retomada às aulas

Nesta quinta-feira (4), a secretária de Educação do Município, Patrícia Lueders, participou de uma reunião online com integrantes do Núcleo de Educação Básica Privada da Acib e do Núcleo de Educação Infantil da Ampe. A secretária mostrou-se solidária e preocupada com a situação das escolas e ciente das consequências financeiras. Segundo ela, até o dia 2 de agosto não há autorização para voltarem as aulas. "Tudo vai depender da decisão do Governo do Estado”, frisou.

 

A secretária informou que foi criada uma comissão entre o Ministério Público de Santa Catarina, Tribunal de Contas, Secretaria de Estado da Educação, Assembleia Legislativa e Undime. Nesta comissão, o MP deve apresentar um plano de retorno. Ela se comprometeu em buscar a possibilidade de incluir um representante da rede privada de ensino na comissão.  Após ouvir as observações dos representantes das escolas, Patrícia também se dispôs a estreitar a parceria entre a Secretaria e as escolas privadas, bem como uma maior interação com o Conselho Municipal de Educação. 

 

O coordenador do núcleo da Acib e diretor do Colégio Excelsior, Osni Mette, falou sobre a preocupação com o atual momento. "Uma pesquisa com 49 escolas privadas de Blumenau apontou uma saída de quase 1446 alunos e 137 funcionários desligados. A preocupação que temos é: para onde vão essas crianças?” Segundo ele, muitas crianças acabam ficando em locais que não são regulamentados porque os pais precisam trabalhar. Mette sugeriu o retorno com uma forma híbrida de ensino: que as famílias que quiserem possam enviar as crianças para a escola e quem não estiver seguro continue tendo aulas remotas. 

 

Cristiane Marciniack, coordenadora do Núcleo de Educação Infantil da Ampe, informou que até o dia 2 de agosto as escolas completarão 137 dias de aulas suspensas, sendo que a média na maioria dos países não passou de 60 dias. Por isso, questionou: o que impede de podermos planejar um retorno gradual?

 

O diretor da Escola Barão, Marcos da Silva, ressaltou que o bem estar de todos é  prioridade para as escolas. "Nossa escola contratou uma médica infectologista para fazer o trabalho de orientação do que é o correto em um plano sanitário de retomada das aulas. 

O que consideramos mais correto, até pelo exemplo de outros países, é começarmos gradualmente por faixa etária, trabalhando a questão da segurança em paralelo às atividades escolares. Temos que dar segurança para as crianças e para as famílias”, apontou.  Silva considerou incoerência a liberação de escolas de dança e não do treinamento esportivo nas escolas para todas as faixas etárias. "O que precisa é ter a aplicação e consistência de um plano sanitário”, afirmou. 

 

Glauco Inocêncio Foltran, do Colégio Bom Jesus, concorda com a retomada de forma gradativa e alertou para o fato de que famílias que estão cancelando as matrículas nas escolas privadas sem ter matriculado em uma escola pública. 

 

Também presente na reunião, a presidente do Conselho Municipal de Educação, Maria Luiza Oliveira, disse que tem levado em consideração as especificidades da rede privada e buscado alternativas. Mas, ressaltou que o Conselho não pode ir contra o decreto do Governo Estadual. 

 

Ao final, o presidente da Acib Avelino Lombardi elogiou a postura da secretária Patrícia Lueders, pela transparência e abertura que sempre deu à Acib. 

 

Compartilhe: