Diretoria da Acib visita obras do Centro de Inovação. Empreendimento deve ser entregue no início de 2019

Diretoria da Acib visita obras do Centro de Inovação. Empreendimento deve ser entregue no início de 2019
20/11/2018

Diretoria da Acib visita obras do Centro de Inovação. Empreendimento deve ser entregue no início de 2019

A diretoria da Acib se reuniu nesta segunda-feira (19) no Centro de Inovação de Blumenau, onde fez uma visita guiada e conheceu o estágio atual da obra, que está 85% concluída. O Centro foi apresentado pelo presidente do Conselho do Instituto Gene, Udo Schroeder, e pelo diretor executivo Fabiano Conrado Odebrecht. A entrega estava prevista para o fim deste ano, mas deve ficar para início de 2019.

O objetivo de convidar a diretoria da Acib a visitar a obra, conforme explicou Fabiano, foi mostrar a importância do Centro de Inovação, seu andamento, e buscar apoio dos membros da diretoria para debater com o Poder Público a operação e manutenção do espaço depois de pronto.

O custo mensal estimado é de R$ 79 mil para as atividades básicas do Centro de Inovação, como contratação de recepcionistas, limpeza, despesas de energia, entre outros gastos.Já existe um plano de ocupação e geração de receitas, mas ainda é necessário prever outras fontes de recurso para que o empreendimento se desenvolva e prospere. O presidente da Acib, Avelino Lombardi, destacou que “tudo que for para Blumenau, a Acib está junto e esta é uma obra da cidade”.

Estrutura

Entre as fontes geradoras de receita, o Centro de Inovação prevê uma área de show rooms para exposição, uma cafeteria, além de auditório para até 125 pessoas, com estrutura acústica e audiovisual. Os quatro andares contam com acessibilidade, banheiro, copa e cozinha. Há também um andar com vestiário de uso coletivo, com chuveiros, para quem usa bicicleta, por exemplo. O andar acima do auditório conta com mezanino e salas de reuniões e também poderá ser usado como coworking. Um andar será reservado para entidades e instituições da cidade, em uma área ampla, sem divisórias, para que possam convergir e interagir entre elas. Cada entidade fica responsável pelo seu mobiliário, seguindo o projeto proposto pelo centro.

O terceiro andar pode receber 18 empresas que já atuam com inovação na área de pesquisa e desenvolvimento e que venham a contribuir com o ecossistema do centro. As salas variam de 18 a 85 m2. Também está previsto neste andar alguns espaços compartilhados e um coworking empresarial para pessoas jurídicas que prestam serviço para empresas na área de pesquisa e desenvolvimento.

O quarto andar tem a proposta de ter um patrocinador master para um espaço de open innovation, onde será possível discutir novas soluções para o mercado com temas como industria 4.0. Neste piso também haverá uma área de descompressão, bem descontraída, para troca de ideias. Alem disso, está prevista uma cozinha compartilhada e um deck.

Pular para o conteúdo