Internacionalização de empresas: por que as empresas devem investir nesse processo?

Internacionalização de empresas: por que as empresas devem investir nesse processo?
29/03/2022

Internacionalização de empresas: por que as empresas devem investir nesse processo?

O processo de internacionalização das empresas mostra um avanço mundial constante. Santa Catarina, por exemplo, encerrou o ano de 2021 com 800 novas empresas exportadoras. Essa análise foi feita pelo Observatório da Fiesc e mostra que houve crescimento de 9% no número de companhias que fizeram embarques para o exterior no ano passado. Foram US$ 10,3 bilhões em exportações e US$ 24,9 bilhões em importações ? os maiores valores da série histórica iniciada em 1997.

E foi sobre esse assunto que a Associação Empresarial de Blumenau (Acib), em parceria com a Fiesc Vale do Itajaí, promoveu uma reunião na manhã desta terça-feira, dia 29. O encontro contou com a presença da presidente da Câmara de Comércio Exterior da Fiesc, Maria Teresa Bustamante, do vice-presidente regional da federação, Ulrich Kuhn, além do presidente da Acib, Renato Medeiros, e do coordenador do Núcleo de Relações Internacionais da Acib, Germano Gehrke.

De acordo com o presidente da Acib, Renato Medeiros, a internacionalização de empresas localizadas no Vale do Itajaí já é uma realidade, mas ainda tem muito o que crescer. “Debater esse tema é de grande importância para promover e alavancar ainda mais a exportação e importação do nosso país”.

“O comércio exterior tem altos e baixos dentro da empresa, mas é importante investir e permanecer nesse processo. É um desafio que gera grandes resultados para empresa. Internacionalização é tudo, é comprar e vender. Importante ressaltar que por mais que a internacionalização esteja crescendo, o Brasil ainda exporta e importa pouco. Temos um bom processo de logística, com grandes portos, por isso as empresas brasileiras precisam investir nesse processo, a médio e longo prazo”, informou o vice-presidente regional da federação, Ulrich Kuhn.

“Existe um ecossistema de internacionalização do Estado, que liga as empresas, gera networking, basta as empresas aproveitarem. O Intercomp – International Competitiveness, da Fiesc, é um programa que visa auxiliar as empresas de pequeno, médio e grande porte a entrar e crescer no mercado internacional”, revelou a presidente da Câmara de Comércio Exterior da Fiesc, Maria Teresa Bustamante.

Intercomp – International Competitiveness

O Intercomp é um programa de internacionalização da entidade Fiesc que tem como intuito iniciar e alavancar as operações empresariais com o exterior. “Empresas que participam do mercado global têm maior competitividade também no mercado nacional. Por isso, priorizamos a internacionalização da indústria catarinense por meio de iniciativas como a promoção, prospecção e inteligência comercial, além de capacitação e emissão de certificados de exportação”, comentou Maria Teresa.

Maria ainda reforça que o programa oferece inteligência comercial,capacitação e seminários sobre comércio internacional, promoção comercial, defesa de interesses por meio da Câmara de Comércio Exterior, programas e parcerias nacionais e internacionais. “O Intercomp foi criado para auxiliar as empresas a entrarem na internacionalização”, ressaltou.

Mais informações sobre o programa aqui.

Pular para o conteúdo