Promotora apresenta vantagens do trabalho dos apenados

Promotora apresenta vantagens do trabalho dos apenados
22/05/2018

Promotora apresenta vantagens do trabalho dos apenados

A ressocialização dos detentos pelo trabalho foi debatida na reunião da diretoria da Acib de segunda-feira (21), com a participação da promotora Patrícia Tramontin. Ela defendeu o trabalho como forma de as pessoas retomarem o convívio social com dignidade e explicou sobre os regimes de penas, fechado ou semiaberto. O regime aberto não existe hoje em Blumenau.

Patrícia observou que, a cada três dias de trabalho, desconta-se um dia de pena. “Atualmente, a PIB (Penitenciária Industrial de Blumenau) tem 160 vagas para 600 presos. No PRB (Presídio Regional de Blumenau), são 117 vagas para trabalho interno e 60 vagas na URB para 800 presos. Eles trabalham na cozinha, manutenção, em trabalhos internos nas penitenciárias, ou por convênios com empresas. O preso tem direito a um salário mínimo, sendo que 75% deste montante fica com ele e 25% vai para um fundo que gere os recursos. O mínimo de carga horária é de 6h/dia e o máximo de 8h/dia”, explicou a promotora.

Entre as vantagens do trabalho dos apenados, Patrícia ressaltou: “Enquanto eles estão trabalhando não estão fazendo nada errado. Voltam para sociedade talvez um pouco melhores”. Para as empresas, algumas vantagens são que não há encargos trabalhistas nem abstinência.

A promotora solicitou apoio da Acib para que mais empresas estabeleçam parcerias com o presídio, a fim de gerar mais opções de trabalho interno. Ela inclusive mostrou o caso da unidade prisional de Indaial, onde 90% dos presos estão trabalhando.

Pular para o conteúdo