Segurança cibernética é tema de evento promovido pelo Núcleo de TIC

Segurança cibernética é tema de evento promovido pelo Núcleo de TIC
19/09/2019

Segurança cibernética é tema de evento promovido pelo Núcleo de TIC

Cerca de 200 profissionais participaram, nesta quarta-feira (18) de um evento sobre Segurança Cibernética, promovido pelo Núcleo de Gestores de TI da Acib. Os especialistas de renome nacional Marcelo Lau e Ivo Peixinho palestraram para o público, no auditório do CEB.

Atualmente, a segurança cibernética vai muito além da equipe interna de tecnologia da informação de uma determinada organização. É fundamental que as companhias estejam cientes dos reais impactos de um ataque cibernético para o futuro do negócio. No Brasil, o tema vem se tornando cada vez mais alarmante. Segundo uma pesquisa realizada no último ano pela Global Identy and Fraud Report, 55% dos negócios já identificaram aumento de perdas com fraudes online.

Investigação de crimes cibernéticos: atuação, técnicas e cases

Criada em 2004, a Polícia Judiciária da União atua no combate às fraudes eletrônicas brasileiras. O perito criminal da Polícia Federal, Ivo Peixinho, explicou durante a palestra como a instituição atua na resolução de crimes organizados voltados ao ambiente online, além de exemplos de casos que chamaram a atenção de todos nos últimos anos. “Atualmente, muitos crimes acabam migrando para o meio online. Por esse motivo, é importante capacitar os profissionais da polícia para os crimes cibernéticos, e para esse ambiente digital. Hoje, todo policial já recebe um curso sobre esse o conhecimento básico do ambiente digital”, diz.

Com o passar dos anos, a evolução das fraudes bancárias chamou atenção da polícia. Somente em 2018, os prejuízos nesse setor, chegaram a três bilhões de reais. Segundo o perito criminal, esse segmento reúne os principais crimes de alta tecnologia, como invasão, vazamento de dados, sequestro de dados, navegação de serviços e mineração clandestina de criptomoedas.

Protegendo seus dados e da sua empresa

O assunto de segurança da informação nunca teve tanta participação na vida das pessoas. O especialista em segurança de redes e Ciência Forense, Marcelo Lau, destaca que todos nós temos alguma ligação com a segurança da informação. “Por exemplo, todas as pessoas possuem senha em seu celular. Portanto, hoje em dia, a sua vida não está mais no computador, e sim, no celular”, diz.

Lau explica que as pessoas acabam facilitando a vida dos criminosos digitais. “As pessoas e empresas utilizam senhas de acesso muito fáceis em seus aparelhos. Além disso, acabam não prestando atenção em situações estranhas que acontecem quando estão navegando na internet”, comenta.

É necessário desconfiar das informações solicitadas pelas empresas, por exemplo, se o aplicativo solicitar dados estranhos para baixar a ferramenta em seu aparelho, desconfie e por via das dúvidas, não baixe. “Principalmente aplicativos de entretenimento. Além disso, softwares comuns podem ser verdadeiros vilões hoje em dia. Como é o caso do sincronismo do seu veículo com o seu celular, ele não pede senha, ou seja, está vulnerável a situações de vazamentos de dados”, ressalta Lau.

Pular para o conteúdo