Workshop fala sobre mecanismos de apoio às exportações

Workshop fala sobre mecanismos de apoio às exportações
11/04/2017

Workshop fala sobre mecanismos de apoio às exportações

Na semana passada o Núcleo de Relações Internacionais da Acib, em parceria com o Banco do Brasil, promoveu o workshop “Mecanismos de Apoio às Exportações”. Foram tratados temas como financiamento às exportações, estratégia digital para acessar o mercado internacional e e-commerce internacional.

Paulo Fraga, do Banco do Brasil, falou sobre a atuação da instituição em consultoria em negócios internacionais, abrangendo venda de conhecimento, terceirização de processos e capacitação. Entre as linhas de crédito destacadas por ele, estão o Proex e o Proger Exportação. O primeiro é destinado a empresas com faturamento até R$ 600 milhões por ano, adimplentes com a União. Algumas vantagens são que não impacta limite de crédito, maior competitividade, abertura de novos mercados e taxa de juros Libor, que no câmbio atual estaria em 1,43% ao ano para operações com prazo de seis meses e 1,81% com prazo de 12 meses. Já o Proger Exportação é vinculado a operação menores, para empresas com faturamento de até R$ 10 milhões por ano e valor máximo de empréstimo até R$ 600 mil. O prazo é de até 12 meses e a taxa de juros é em moeda nacional: TJLP + 9,94% ao ano. É ideal para empresas que não querem correr risco de variação cambial.

Suzana Lopes, da B2Brasil, falou sobre o mercado digital e acredita que o Brasil ainda tem muito o que desenvolver na exportação, sendo que o caminho está nas médias e pequenas empresas. Ela apresentou as estratégias de marketing online desenvolvidas pela B2Brasil. “O portal www.bb.b2brazil.com.br conecta milhares de empresas de todo o mundo com empresas brasileiras e tem como foco incentivar a geração de leads (oportunidades de negócios) para empresas participantes. Nossa missão é trazer negócios para o Brasil”, explicou.

O e-commerce internacional foi tema da palestra de Emerson Schattschneider, da UPS Logística. Ele apresentou os serviços de transporte de grande alcance, com voos próprios para diversos países. “A vantagem de termos aeronaves próprias é que é uma equipe da UPS que manipula todos os pacotes e é responsável pelos processos”, apontou. Segundo Schattschneider, há opções de remessa, pacotes e fretes para atender a todas as necessidades.

Pular para o conteúdo