Design Thinking é tema de palestra para empreendedores

Design Thinking é tema de palestra para empreendedores
09/08/2017

Design Thinking é tema de palestra para empreendedores

O auditório do Centro Empresarial de Blumenau ficou lotado na noite desta terça-feira, dia 8, para uma palestra sobre Design Thinking (DT). Promovida pelos núcleos Acib Consultoria e Acib Inovação, a apresentação teve como foco empreendedores e foi comandada pela publicitária catarinense Maria Truci.

Ao longo de uma hora e meia de evento, ela apresentou o conceito de Design Thinking como uma ferramenta de inovação, necessária para sobreviver em um mercado onde 25% das empresas fecham antes de completar dois anos. “Para criar soluções inovadoras é preciso trabalhar de forma multidisciplinar, a partir de visões diferentes”, afirma.

Truci explica que não há uma fórmula de Design Thinking a ser aplicada. É prática. Um modelo mental de trabalho baseado na necessidade do cliente e que tem base em três pilares: empatia, colaboração e experimentação. “Estamos falando de uma metodologia de trabalho focada no usuário e não no seu negócio, pois tem como ponto principal entender e atender a necessidade do outro”, diz.

Com exemplos práticos e cases de sucesso, a publicitária apresentou uma concepção de como aplicar o Design Thinking no dia a dia do empreendedor. “É preciso identificar uma necessidade, conversar com o usuário, construir uma solução, testar com o público e então lançar”, detalha Truci. Para ela, o DT deve ser visto como uma ferramenta para fugir do insucesso, pois está sempre atenta ao que o cliente precisa e evita que o produto/serviço fique obsoleto.

Pilares do Design Thinking

Empatia ? ir além de se colocar no lugar do outro. No Design Thinking a empatia é uma ponte para aprender mais sobre a necessidade do cliente.

Colaboração ? pensar e criar em conjunto. Construir juntos é construir mais. É sobre dar importância ao que o outro está falando/pensando.

Experimentação ? oferecer ao tangível que gere sentimento no cliente. Não precisa ser perfeito ou o modelo final. Pode ser algo simples e rápido, mas que dá uma ideia de como será o produto/serviço.

“Para os empreendedores, essa abordagem é muito poderosa, pois possibilita que eles entendam melhor o mercado em que pretendem atuar, conhecendo as reais necessidades de seus clientes e compreendendo a importância de testar uma ideia antes de colocá-la em prática”, reitera. Truci é formada pela ESPM de São Paulo, coach profissional pelo Instituto Holos, design thinker e facilitadora pela Escola de Design Thinking São Paulo.

Pular para o conteúdo